sexta-feira, 28 de junho de 2013

CIRCUITO BRASILEIRO DE DEGUSTAÇÃO NA REGIÃO SUDESTE E NORDESTE

 
Após contar com 1,7 mil pessoas na etapa Sul, o Circuito Brasileiro de Degustação segue em direção a Belo Horizonte e Rio de Janeiro. Na próxima semana, as capitais do Sudeste receberão a caravana composta por 25 vinícolas de diferentes regiões produtoras brasileiras, além do Projeto Suco de Uva 100%. Até o final do ano, o roteiro passará ainda pelas regiões Centro-Oeste e Nordeste, contemplando ao todo 10 cidades.
 
Em Belo Horizonte o evento será no Clube Chalezinho, dia 2 de julho. As vinícolas participantes são Casa Valduga, Casa Geraldo Vinhos Finos, Cooperativa Vinícola Garibaldi, Dal Pizzol Vinhos Finos, Domno do Brasil, Dunamis Vinhos e Vinhedos, Lidio Carraro Vinícola Boutique, Luiz Argenta Vinhos Finos, Miolo Wine Group, Natural Products, Pericó, Vinhos, Pizzato Vinhas e Vinhos, Quinta da Neve, Sanjo – Cooperativa Agrícola de São Joaquim, Vinícola Aurora, Vinícola Courmayeur, Vinícola Dezem, Vinícola Don Abel, Vinícola Hermann, Vinícola Perini, Vinícola Peterlongo, Vinhedo Routhier & Darricarrère, Vinícola Salton, Vinícola Sinuelo, ViniBrasil, Projeto Suco de Uva 100% do Brasil.
 
Na capital fluminense o Circuito será no Iate Clube e a lista de vinícolas participantes terá a entrada da Aracuri e da Casa Venturini, saindo as vinícolas Courmayer e Dal Pizzol.

Em paralelo às degustações, serão realizadas duas palestras em cada edição. Em Belo Horizonte, a primeira tem como tema 50 Tons de Tintos, ministrada pela Mestre em Enologia Ana Luíza Borges, as 17h. A segunda ocorre as 19h e tem como tema Duelo de Borbulhas, comandado pelo enófilo e idealizador do blog Vinho para Todos, Gil Mesquita. No Rio de Janeiro, o tema Coleção Outono/Inverno, ministrado por Paul Medder, professor certificado do Wine & Spirit Education Trust, abre a programação. Na sequência, o jornalista e presidente da Sociedade Brasileira dos Amigos do Vinho (SBAV), Affonso Nunes, apresenta sua versão do tema 50 Tons de Tinto.
 
As atividades serão das 16 às 21 h para convidados, sendo que o período a partir das 19h estará reservado  profissionais do segmento. Depois o Circuito é aberto aos consumidores finais que tiverem feito confirmação pelo telefone (31) 3282.5533 ou pelo e-mail secretariamg@abrasel.com.br, até às 14h do dia 1º de julho. No Rio de Janeiro, confirmações devem ser feitas pelo telefone (21) 3328.5855 ou pelo e-mail rsvp@vezestres.com.br, das 10h às 18h, até o dia 3 de julho.
 
 O Circuito Brasileiro de Degustação

Com o objetivo de levar informações e potencializar a formação da imagem dos vinhos brasileiros no mercado interno, o Circuito é a oportunidade de reunir grupos de vinícolas para promoverem seus propdutos em diferentes cidades do país.
 
Ao chegar ao local, o visitante recebe uma taça e poderá iniciar o percurso de degustação pelas diferentes vinícolas, experimentando uma aproximação direta com as empresas vinícolas.

Em abril deste ano, Curitiba, Florianópolis e Porto Alegre sediaram a primeira etapa da ação. Agora, Rio de Janeiro e Belo Horizonte são os novos destinos do evento itinerante. A terceira etapa do Circuito ocorrerá no dia 12 de agosto, em Goiânia, marcando presença no Centro-Oeste do país. Em setembro, o Circuito encerra com passagem pelas capitais nordestinas, Salvador (dia 10), Recife (dia 12), Natal (dia 17) e Fortaleza (dia 19).
 
Promovido pelo Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), o Circuito é realizado em parceira com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) e Secretaria de Agricultura, Pecuária e do Agronegócio do Rio Grande do Sul (Seapa/RS) e apoio da Oxford Crystal.

quarta-feira, 26 de junho de 2013

AINDA ESTÁ EM TEMPO - PARTICIPE DA FIVE VIRTUAL

A primeira feira 2.0 dedicada exclusivamente aovinho orgânico no mundo, chega com um conceito ousado, o de apresentar vinhos criativos, de autor, sabores bem diferentes, inclusive, licores  elaborados com outras frutas, tudo, isso sim, com o selo ecofriendly. 

FIVE, a Feira Internacional do Vinho Orgânico, decidiu este ano se apresentar em formato virtual com o objetivo de ampliar o  seu raio de ação, tanto na presença de adegas como de visitantes. A feira online será entre os dias 21 e 30 de junho, e no que diz respeito às adegas, a iniciativa já deu mostras positivas, pois este ano haverá novas Denominações do Origem e novos estilos de elaboração.  

Mais de 300 tipos de vinhos, entre brancos, tintos, roses, espumosos e doces estarão neste encontro, que além de orgânicos, apresentará também vinhos biodinâmicos (cuja produção e elaboração é regida por ciclos lunares), e naturais (com utilização muito limitada de sulfitos).  O sudoeste europeu – Espanha, Portugal, França e Itália – é a região representada na feira virtual pois é nela que se concentra a maior variedade de vinhos e de formas de produção orgânica e onde, pelas condições geológicas e climáticas há uma maior diversidade de uvas e sabores.  

O vinho que respeita o meio ambiente tem alcançado um destaque importante nos grandes mercados consumidores de vinhos delicatessen, como Alemanha, Inglaterra, Estados Unidos e Japão, e tem despertado o interesse de mercados emergentes como a China, Rússia e outros países do leste europeu. A ideia agora é que outros mercados, como o brasileiro, conheçam as peculiaridades deste produto. 

Na viticultura europeia, o vinho orgânico tem comprovado a sua vocação exportadora, mas também sua inovação e biodiversidade. Na Espanha, por exemplo, 70% da produção é vendida no exterior, com uma clara tendência em alta. Algumas adegas – que poderão ser conhecidas na feira - têm unido métodos ancestrais com a tecnologia mais avançada para a elaboração dos caldos; outras  têm optado por utilizar tipos de uvas pouco frequentes - descartadas pelas vinícolas convencionais por serem pouco produtivas ou demandarem cuidados excessivos - como viognier, verdil, trepat, maturana e monastrell.  

O crescente prestigio do vinho orgânico entre os especialistas

Durante a edição de FIVE 2012 (presencial), Fernando Gurrucharri, presidente da União Nacional de Degustadores de Vinho da Espanha e do Concurso Internacional Bacchus, um dos top five do mundo, ressaltou, a grande qualidade que os vinhos orgânicos vêm alcançando e a crescente diversidade dos sabores, se comparado com os vinhos convencionais. Como prova disso, no Bacchus 2012, a Bodegas Robles (D.O Montilla Moriles) que também estará no FIVE Virtual, foi uma das seis adegas do mundo que ganhou o Gran Bacchus de Oro, o maior reconhecimento do concurso. Lezaun (D.O. Navarra) foi outra destacada com três Bachus de Ouro, e que também estará na feira virtual. 

Ainda que a feira, por ser virtual, não tenha degustação, será uma excelente oportunidade para conhecer nominalmente vinhos diferentes, com caráter e uma grande qualidade. O visitante poderá conhecer o vinho segundo várias classificações: denominação de origem, região, tipo (tinto, rose, branco, espumosos, etc.), e descrições de tipo de uva e forma de produção, prêmios, entre outros. O contato será realizado diretamente com o produtor. Podem participar importadores, compradores em geral, especialistas do setor e prescritores. A feira será em espanhol e inglês e está aberta 24 horas por dia.

O que é o vinho orgânico

Na Europa o vinho orgânico está definido e legislado pela normativa europeia modificada no ano passado, segundo a qual o vinho deve ser produzido com uvas que não foram tratadas com produtos sintéticos (inseticidas ou adubos) direta ou indiretamente. O processo de vinificação também possui algumas restrições. Não está autorizado o uso de determinados ácidos ou elementos de desulfuração ou processos externos de síntese, entre outros.

O consumo destes vinhos na Europa vem se dando por diversos fatores, diferenciação de sabor e aromas, qualidade de produção e consciência ambiental 

A produção na Espanha

A Espanha é o maior produtor de vinho orgânico do mundo, segundo o Instituto Suíço de Pesquisa em Agricultura Orgânica (FIBL). O número de adegas orgânicas passou de 135 em 2001 a 456 em 2011, segundo dados do Ministério de Agricultura da Espanha. Embora a sua produção represente apenas 5% do total nacional, a quantidade de hectares que produzem uvas ecológicas para a produção deste tipo de vinho vem aumentando, ao contrário da produção vitivinícola convencional, do total produzido, 80% da produção espanhola vai para a exportação. 

FIVE, que está organizada por AEN, a Associação de Produtores Orgânicos da Navarra (Espanha).

Mais informação no Brasil:
Sandra Beltrán. Tel: (11) 989 824 604
sandra@comunica2.eu /info@comunica2.eu
Skype:sandra.orietta.beltran.baeza

terça-feira, 25 de junho de 2013

21 AVALIAÇÃO NACIONAL DE VINHOS - SAFRA 2013

 
 
Mais uma semana para inscrever amostras
 
 
A Associação Brasileira de Enologia (ABE) estendeu até quinta-feira, 27 de junho, o prazo para as vinícolas inscreverem amostras na 21ª Avaliação Nacional de Vinhos – Safra 2013. Único no mundo, o evento já reuniu mais de 12 mil apreciadores, que desde 1993 se reúnem para avaliar anualmente cada safra. Com caráter educativo, a Avaliação também tem importante papel na evolução da qualidade da produção nacional. No ano passado, foram 387 amostras de 70 vinícolas de sete estados brasileiros.
 
Depois das inscrições o próximo passo será coletar as amostras diretamente dos reservatórios nas vinícolas, etapa que inicia dia 15 de julho. Somente no mês de agosto, entre os dias 15 e 30, é que os enólogos farão a degustação de seleção dos vinhos no Laboratório de Análise Sensorial da Embrapa Uva e Vinho, em Bento Gonçalves.
 
A degustação de seleção terá a participação de oito grupos de 15 enólogos cada, resultando na integração de 120 enólogos de diversas regiões produtoras do Brasil. Serão dois grupos a cada três dias, sendo que cada grupo degustará um conjunto diferente de vinhos. “Desta forma, conseguiremos envolver um grande número de enólogos, maximizando e potencializando o trabalho”, destaca o presidente da ABE, enólogo Luciano Vian.
 
O resultado será apresentado ao grande público no dia 28 de setembro. Para este dia, as inscrições abrem somente dia 03 de setembro.
 

segunda-feira, 24 de junho de 2013

LIDIO CARRARO É O VINHO OFICIAL DA COPA DO MUNDO 2014

 
 
Onze jogadores em campo. Onze uvas em um vinho. Assim como a seleção brasileira de futebol, o rótulo tinto FACES da Lidio Carraro Vinícola Boutique vai representar o Brasil como vinho Licenciado Oficial da Copa do Mundo da FIFA 2014™, traduzindo o terroir nacional com a escalação de um time de uvas de diferentes áreas vitícolas representativas das cores, aromas e sabores da nossa terra. O resultado são 26 vinhos no corte em uma obra enológica que homenageia os estados da federação. Já, o vinho branco FACES, é um assemblage das uvas Moscato, Chardonnay e Riesling Itálico, as três variedades brancas mais cultivadas no Rio Grande do Sul. O lançamento do branco FACES acontecerá durante a Copa das Confederações, realizada no Brasil no mês de junho, e será servido nos estádios que abrigam os jogos do evento e o tinto FACES terá sua estréia no mercado no final do mês. A Lidio Carraro prevê a produção de 600 mil garrafas com os dois rótulos e, também, o vinho rosé, que deve chegar ao mercado na metade do segundo semestre de 2013.
 
Com o conceito de vinho celebração, desenvolvido pela enóloga chefe e responsável pelo projeto técnico dos FACES, Monica Rossetti, a Lidio Carraro apresenta um produto autêntico, vibrante e versátil que guarda, em cada garrafa, a característica da diversidade. “O FACES é uma resposta do vinho brasileiro para satisfazer a nova tendência mundial de consumo com identidade própria. São vinhos de qualidade premium com a característica de perfil jovem, refrescante, fácil de beber”, diz Juliano Carraro, diretor comercial da vinícola. O primeiro lote, de 173 mil garrafas dos vinhos tinto e branco, começa a chegar gradualmente ao mercado e poderá ser encontrado pelos consumidores nas lojas premium das principais redes regionais de supermercados do país, casas especializadas, nos melhores restaurantes e hotéis. Além destes canais de distribuição, também poderá ser adquirido nas redes Duty Free, através do site e-commerce da Globo Marcas e diretamente da própria vinícola boutique. Cada garrafa tem impresso no rótulo o selo de licenciamento da FIFA e o preço médio é de R$ 39,80.
 
No exterior, os compradores conhecerão o vinho durante a Vinexpo 2013, realizada no mês de junho em Bordeaux, na França.  De acordo com Patrícia Carraro, diretora de Marketing e Exportação da vinícola, muitos importadores estão interessados nos vinhos FACES e já tem negociações em andamento com Dinamarca, Canadá, Reino Unido, Holanda, Bélgica, Estados Unidos e Japão. “Foi muito importante a FIFA ter escolhido um vinho brasileiro. O mercado viu com ótimos olhos e isso agregou maior confiança para o vinho do Brasil como um todo. Uma maior participação dos vinhos do Brasil nas cartas dos restaurantes e nas lojas, agregado a um conjunto de ações ao longo dos anos, vai gerar uma grande mudança na participação do vinho brasileiro no mercado nacional e internacional”, analisa Patrícia Carraro.
 
Merlot, Cabernet Sauvignon, Teroldego, Touriga Nacional, Tannat, Ancellotta, Nebbiolo, Tempranillo, Pinot Noir, Alicante e Malbec formam a seleção de uvas do tinto FACES. São variedades provenientes de toda a Serra Gaúcha, incluindo o Vale dos Vinhedos que representa a tradicional área de cultivo da uva e vinho no Brasil, e também da metade sul do estado do Rio Grande do Sul, englobando as novas e promissoras regiões vitícolas brasileiras.  As uvas selecionadas são de diferentes nacionalidades, uma referência à forte miscigenação do povo brasileiro, formado por imigrantes de vários países. A Lidio Carraro ousou na busca por variedades, e na composição de parcerias com outras áreas produtoras, além daquelas onde cultiva seus vinhedos próprios. “A proposta foi criar um vinho representativo da viticultura brasileira, que traduza no seu conceito, no seu método de elaboração e no seu perfil organoléptico a identidade do Brasil. Foi um grande desafio selecionar uvas de lugares diferentes do Rio Grande do Sul para a criação dos vinhos comemorativos da Copa. Realizamos algo inovador, mobilizando vários parceiros em um projeto concebido especialmente para valorizar a diversidade enológica que simbolicamente expressa a diversidade humana e cultural do Brasil”, explica Monica Rossetti.
 
No trabalho de criação, os critérios para formação desse time de uvas tiveram como base o estilo desejado para o vinho. “Descontraído e agradável, mantendo o perfil de qualidade reconhecido em outros vinhos da Lidio Carraro. Buscamos representar a alma brasileira que está no imaginário das pessoas: jovem, alegre e criativo. Estamos empolgados com os resultados e acreditamos que será bola no pé e vinho na taça em todo País”, brinca a enóloga.  
 
O vinho branco FACES busca inspiração nas raízes da vitivinicultura gaúcha para celebrar a trajetória do setor no Brasil. Isso se traduz na escolha das uvas Chardonnay, Moscato e Riesling trabalhadas em perfeita harmonia – um terço de cada variedade na composição -, explorando o potencial de cada uma para a criação de um vinho completo. “A uva Moscato confere intensidade aromática, tornando o vinho vivo, intenso, com aroma de flores, frutas tropicais e caráter exuberante. A Riesling é elegante, sutil e contribui com frescor e persistência. A uva Chardonnay é a componente de equilíbrio, liga as duas outras variedades e atribui requinte, notas frutadas ao aroma e volume em boca”, explica Monica. Versátil para ser consumido nas mais diversas ocasiões, com qualidade e consistência. Um vinho para comemorar a festa da Copa no Brasil que terá sua estréia na Copa das Confederações e será servido nas áreas fechadas dos estádios brasileiros dos jogos, juntamente com outros rótulos do portfólio da Lidio Carraro: Dádivas Chardonnay, Dádivas Espumante Brut, Dádivas Merlot/ Cabernet Sauvignon e o Agnus Cabernet Sauvignon.
           
 

domingo, 23 de junho de 2013

VINHOS DA COOPERATIVA AURORA NA POLONIA


A Vinícola Aurora embarcou,  na semana passada, 8 mil garrafas de vinhos finos para a Polônia (das linhas Aurora Varietal e Aurora Reserva).
 
É a segunda exportação da Vinícola para esse país. Os produtos da Aurora embarcados na primeira exportação  já estão muito bem distribuídos, presentes nas principais redes de varejo polonesas:  Piotri Pawel, E. Leclerc, Top Markets e, a partir de julho, estarão também nas lojas do MarcPol. 
 
A Vinícola Aurora exporta seus produtos para mais de 20 países, nos 5 continentes. É a maior exportadora de espumantes do Brasil para os Estados Unidos, país em que está presente em 26 estados, também com vinhos tintos e brancos selecionados. Recentemente, conquistou o mercado alemão com seus vinhos da marca de exportação Brazilian Soul, que já são distribuídos em todas as regiões da Alemanha. A Vinícola tem no Japão seu segundo maior mercado e desde o ano passado exporta para o Reino Unido.

No Brasil, os vinhos brancos e tintos, espumantes, sucos de uva e coolers da Vinícola Aurora podem ser encontrados em lojas de redes varejistas e empórios especializados. 
 
 
Cooperativa Vinícola Aurora
Visite o site: www.vinicolaaurora.com.br
SAC:  0800 701 4555

sexta-feira, 21 de junho de 2013

DIVERSIDADE ESPANHOLA NO RESTAURANTE WEINSTUBE

Na última terça-feira de cada mês, o restaurante Weinstube promove uma noite agradável com degustação grátis dos melhores vinhos do mercado. Desta vez, a Almería Importação apresentará rótulos espanhóis de altíssima qualidade e o evento contará com a presença de seu proprietário Juan Rodriguez. Durante a noite de 25 de junho, os presentes terão direito à experimentação de quatro vinhos tintos e um branco, além de haver a possibilidade de compras de garrafas
 
Entre os cinco vinhos oferecidos pela importadora para a degustação está o La Tribu, feito com as uvas Monastrell, Garnacha e Syrah. Especialistas da Almería estarão à disposição para orientar a degustação, que ainda conta com uma cesta de pães e um tira-gosto como acompanhamento, além de água provida pelo restaurante. Após a prova das deliciosas bebidas, o Weinstube oferece condições normais para um jantar com o melhor da culinária alemã e da gastronomia internacional contemporânea.
 
 
Serviço - Degustação Weinprobe “Diversidade Espanhola”
Local: Restaurante Weinstube – Club Transatlântico
Endereço: Rua José Guerra, 130 – Chácara Santo Antônio – 04719-030
Data: 25 de junho, terça-feira
Horário: 20h
Vagas limitadas: 50
Reservas: (11) 2133-8600

VINHOS DO TEJO - EVENTO IMPERDÍVEL EM BELO HORIZONTE

Chegou o momento de o Brasil descobrir Portugal, em especioal, através dos vinhos da bacia do Rio Tejo, exatamente de onde partiram os lusitanos para dobrar as dimenções do mundo conhecido há mais de 500 anos.
Consagrados no velho continente  europeu, os vinhos de seis microrregiões e três terroirs que compõem o vale daquele rio português, de grande importância histórica, vão desembarcar nas Minas Gerais no próximo 27 de junho.
O local do evento será em Belo Horizonte, no Hotel Max Savassi (Rua Antônio de Albuquerque, 335), com a participação de 14 produtores de Vinhos do Tejo, numa jornada de degustação para imprensa e convidados (distribuidores, donos de lojas, proprietários de restaurantes, sommeliers, chefs de cozinha e enófilos).
A prova enviolverá mais de 100 rótulos e ocorrerá das 16h às 20h.  Entre 17h e 18h, haverá seminário e degustação comentada por Márcio Oliveira – editor do blog Vinoticias, orientador de confrarias de vinho, professor de Gastronomia, Vinhos e Harmonização, master em Vin de Provence, consultor para montagem de Cartas de Vinho para restaurantes, importadoras e caves, diretor e professor na seccional mineira da Associação Brasileira de Sommeliers (ABS-MG).

 Os rótulos representam as micro-regiões de Tomar, Santarém, Chamusca, Cartaxo, Almeirim e Coruche, que se distribuem por zonas de solo e clima tão absolutamente distintos que, embora abraçadas pelo mesmo ponto do Tejo, ganharam status de terroirs: Bairro, Lezíria e Charneca. Será a oportunidade de provar castas genuinamente lusitanas, como Touriga Nacional, Trincadeira, Fernão Pires, Arinto e Verdelho.
 
Famosos desde antes de Portugal se constituir em nação (uma menção de Dom Afonso Henriques aos fermentados da uva de Santarém data de 1170) e inseridos no mercado inglês desde o século 13, os Vinhos do Tejo sempre foram reputados pela elevada produtividade. Em tempos mais recentes, porém, conseguiram a rara proeza de conjugar o primeiro predicado com preços competitivos e altíssima qualidade.
 
Revolução

Muita coisa mudou. Se é verdade que a área de terras imediatamente anterior à foz do Tejo, em Lisboa, manteve-se com poucas árvores e muitas e tradicionalíssimas adegas, clima ameno e precipitações regulares, por outro lado, renovou suas vinhas e métodos. Os tonéis e depósitos de cimento do passado foram trocados por tanques de aço inoxidável, sistemas de refrigeração e pipas de carvalho para envelhecimento.

 
Atualmente, dos 19 mil hectares de vinhedos da região (cerca de 8% do total nacional), 2,5 mil levam o timbre da Denominação de Origem Certificada (DOC). Na edição de Abril deste ano da revista Wine Enthusiast no seu trabalho “2Portuguese Gens”, 18 vinhos do Tejo foram destacados entre os 52 melhores vinhos portugueses. Em 2011, o ranking anual da Wine Enthusiast classificou um vinho do Tejo (Fiuza IKON Chardonnay/Trincadeira das Pratas) como o 6º melhor do mundo e o melhor entre os vinhos portugueses.
 
Em 2012, os Vinhos do Tejo atingiram quase 30 medalhas nos concursos Mundial de Bruxelas e da academia Mundus Vini, na Alemanha, e pela primeira vez conquistaram o reconhecimento da prestigiada Decanter, com mais de 15 prêmios.
 
Segundo João Silvestre, diretor geral da Comissão Vitivinícola Regional do Tejo, de modo geral os brancos são frutados e de aromas tropicais ou florais, enquanto os tintos são jovens, aromáticos e de taninos suaves. “Coincidência ou não, bem ao gosto dos brasileiros, pelo que registra o mercado”, observa João Silvestre, acrescentando o “ótimo custo-benefício dos rótulos do Tejo”.
 

Degustação de Vinhos do Tejo

Dia: 27 de junho de 2013
Local: Max Savassi Hotel (Rua Antônio de Albuquerque), 335
Horário: Das 16h às 20h
Seminário e Prova Comentada por Márcio Oliveira das 17h às 18h – apenas 30 vagas (por ordem de chegada)

Reserva de vagas até o dia 20 de junho pelo e-mail:
vinhosdotejobh@gmail.com

DOVV - DENOMINAÇÃO DE ORIGEM VALE DOS VINHEDOS - COLOCA VINHOS NO MERCADO

 
Mais de 103 mil litros de vinhos e espumantes que estampam no rótulo a Denominação de Origem do Vale dos Vinhedos (DOVV) estão prontos para chegar ao mercado. São 138 mil garrafas elaboradas sob o rigor da DOVV em 2011 e 2012, e que obtiveram a renovação do certificado em degustações realizadas no primeiro semestre de 2013 por membros do Conselho Regulador. A renovação da DOVV é imprescindível porque confirma a identidade já aprovada em anos anteriores, mas que é exigida toda vez que a bebida está engarrafada e pronta para chegar ao mercado.
 
As empresas Miolo, Casa Valduga, Pizzato e Almaúnica foram as que solicitaram a renovação de seus produtos em 2013. Dois espumantes, um vinho branco e um vinho tinto foram avaliados. Esta avaliação da DOVV considera a qualidade da cor, aroma e paladar, além da tipicidade dos vinhos atribuída pela variedade e pela região. Este processo é realizado não apenas para comprovar o enquadramento no regulamento de uso da DOVV, mas também serve como uma importante ferramenta de feedback para qualificação contínua a ser utilizada pelas vinícolas participantes.
 
O Vale dos Vinhedos é o dono da primeira certificação de Denominação de Origem de Vinhos do Brasil, estampando a identidade e a qualidade dos vinhos elaborados no roteiro para o restante do mundo. A DO foi conquistada em setembro de 2012.
 
 
DOVV Renovação 2013
 
Espumante Millesime 2011 – Vinícola Miolo – 120 mil garrafas – 90 mil litros
Chardonnay Gran 2012 – Casa Valduga – 6 mil garrafas – 4,5 mil litros
Espumante Brut 2012 – Pizzato Vinhas e Vinhos – 6 mil garrafas – 4,5 mil litros
Merlot 2010 – Vinícola Almaúnica – 6 mil garrafas – 4,5 mil litros
 

quarta-feira, 19 de junho de 2013

DÉCIMO CONCURSO NACIONAL DE VINHOS FINOS E DESTILADOS

 
 
 

Concurso Mundial de Bruxelas-Brasil
 
 
2 a 5 de julho – Costão do Santinho – Florianópolis
 
Mais de 250 amostras, de todo o Brasil, participam este ano dessa grande prova
 
 
Estão inscritas 257 amostras de vinhos e destilados, de todas as regiões do Brasil, no 10º Concurso Nacional de Vinhos Finos e Destilados, que pelo segundo ano consecutivo será realizado no Resort Costão do Santinho, em Florianópolis (SC). Desse total, 194 são de vinhos e 63 de destilados.
 
As inscrições foram encerradas no dia 10 de junho e estiveram abertas a produtos – vinhos finos ou destilados - elaborados em território brasileiro, de todas as regiões. Com o Patrocínio do SEBRAE,  este ano o evento conta com produtos inscritos de praticamente todos os estados produtores do país.  Cerca de 40% das amostras inscritas de vinhos são da Serra Gaúcha, 30% de Santa Catarina, 20% da região da Campanha (RS) e os 10% restantes com amostras do Paraná, Vale do São Francisco, Bahia e Minas Gerais.
 
Entre os destilados há uma boa amostragem da produção nacional, com rótulos de 10 estados: Rio de Janeiro, Minas Gerais, São Paulo, Alagoas, Ceará, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Bahia.
 
Os vinhos e destilados serão avaliados, às cegas e dentro dos rígidos critérios internacionais, por um júri formado por especialistas do Brasil e de outros 6 países. Entre os estrangeiros estão Rudolf Knoll da Alemanha, Peter de Leeuw da Suíça, Juko Iwamoto do Japão, Isabel Mazzuchelli do Uruguai e Silvia Cava do Chile. Na lista dos degustadores brasileiros, a sommelier e colunista do jornal “O Globo” Deise Novakosky, o colunista do "Jornal do Comércio" de Porto Alegre e autor de site Affonso Ritter, o enófilo e autor de livros e site Sérgio Inglez de Souza e o enófilo e palestrante Renato Frascino, entre outros.
 
Mundial de Destilados no Brasil em 2014
 
Na cerimônia de encerramento do concurso com a revelação dos produtos premiados, os organizadores lançarão o Concurso Mundial de Destilados (Spirits Selection International) que será realizado em 2014 no Brasil, também no Costão do Santinho, avaliando centenas de amostras de destilados de todas as regiões do mundo, às vésperas da Copa do Mundo. Em 2013, pela primeira vez em sua história, o Spirits Selection foi realizado fora da Europa, em Taiwan, e com agenda separada do grande Concurso Mundial de vinhos de Bruxelas.
 
O Concurso Nacional de Vinhos e Destilados do Brasil é uma realização do Concurso Mundial de Bruxelas - o maior concurso internacional do mundo - e a MP Eventos, e tem o objetivo de ampliar a visibilidade dos produtos brasileiros nos mercados interno e externo.  "Essa realização do concurso no Brasil revela-se uma grande vitrine internacional para os vinhos e destilados brasileiros", afirma Zoraida Lobato, da MP Eventos, organizadora. "Os degustadores estrangeiros divulgam, em seus países de origem através de seus veículos de comunicação, as boas impressões que tiveram dos produtos brasileiros”, explica a organizadora. Da mesma forma, diz Zoraida, os especialistas brasileiros, grandes formadores de opinião em nosso mercado, renovam e divulgam suas impressões sobre os produtos do Brasil.

terça-feira, 18 de junho de 2013

DENOMINAÇÃO GEOGRÁFICA CHAMPAGNE RECONHECIDA NO BRASIL

Essa questão da denominação geográfica da origem de um determinado vinho trata da proteção da propriedade maior de um lugar, que é seu próprio nome. No Brasil, na Argentina e na Califórnia, como exemplos, muitos erros foram cometidos na rotulação de vinhos procurando imitar regiões de grande expressão como Borgonha, Chablis etc. No Brasil esta prática já está abandonada, a menos da questão do vinho espumante champagne que a Peterlongo insiste em manter utilizando.


                                       Peterlongo, o pioneiro diante dos pupitres. (peterlongo)

No caso da Peterlongo, seus responsáveis sempre se basearam na anterioridade do uso. Essa vinícola brasileira foi fundada em 1913 por Manoel Peterlongo e, desde então, rotula seus espumantes erradamente como champagne. Mais recentemente, questionados, se apegam ao fato de que esta prática teve início antes da criação oficial da denominação de origem que garante sòmente aos franceses da Champagne o emprego do nome champagne aos vinhos espumantes.  Recentemente o Brasil reconheceu oficialmente esta denominação de origem da  Champagne.


                                         Linha de produção dos velhos tempos! (peterlongo)

De acordo com o site da empresa, ela ainda briga por manter a expressão “champagne”, informando que tem direito garantido:

“Contrapondo-se a proposição de que o termo champanhe somente possa ser usado na região de Champagne, na França, a Vinícola Peterlongo obteve, através do Supremo Tribunal Federal, direito à utilização e divulgação do nome na apresentação de seus produtos. Essa prática ocorre desde 1913, quando a vinícola iniciou seus trabalhos. Após um processo movido por uma empresa francesa, a Peterlongo obteve judicialmente o direito ao uso do termo de acordo com a lei 78.835.”


                                 Túnel subterrâneo com pupitres em utilização (peterlongo)

Apesar dessa grande força para argumentações, a utilização do nome da região que acabou caracterizando os espumantes nela produzidos, não deixa de ser um enorme contrasenso porque a cidade gaúcha de Garibaldi tem sido origem de excelentes espumantes brasileiros e a cidade francesa da Champagne continua sendo a única e exclusiva origem dos champagnes.

Como o Brasil acaba de reconhecer oficialmente a proteção à indicação geográfica Champagne neste último mês de abril, a continuidade da utilização de uma denominação de origem pela Peterlongo é uma atitude na contramão da tradição, da cultura enológica e da legislação vitivinícola internacional.

Peterlongo: trabalho com as garrafas (panoramio.com)

A Peterlongo vende seus espumantes porque são de muito boa qualidade e não porque são rotulados equivocadamente de "champagne". Vamos continuar tomando os bons espumantes Peterlongo, no máximo rotulados como champanhe, deixando de lado aquilo que não é justo e nem real, e que, no fundo, não passa de uma propaganda enganosa.

 

segunda-feira, 17 de junho de 2013

LONDRES: COVENT GARDEN, RESTAURANTE BALTHAZAR E OUTFIT DENYA


Texto extraído da blog www.grazieate.wordpress.com, da Isabela Discacciati (o original tem mais outras imagens e realmente vale a pena visitar!)

Se você quer se divertir em Londres, a região de Covent Garden é o endereço certo. Ali você encontra, além de lojas, mais de 60 pubs, uma infinidade de bons restaurantes, 13 teatros e entretenimento até mesmo nas ruas graças à grande concentração de artistas que se apresentam com shows de mágica, malabarismo e música. Bem perto da estação fica o Mercado de Covent Garden, o Apple Market. Se der sorte, você poderá assistir por ali a concertos de musica clássica com óperas e ballets.


Imagem

Para quem quer fugir um pouco das tendências e busca novidades como roupas, acessórios e artigos para a casa, vai aqui uma dica:  as boutiques de roupas e sapatos mais descoladas ficam na Neal Street. Vale um passeio para perceber o estilo moderninho das lojas e admirar as jóias artesanais e  objetos de novos  designers e estilistas.
 

Imagem

Próximo ao mercado de Covent Garden fica o restaurante Balthazar (Metrô Covent Garden), que tem filiais em outras cidades do mundo, como Barcelona e Nova York. O restaurante foi inaugurado em Londres há apenas três meses. Este era um dos locais que queríamos visitar, portanto, reservamos mesa com bastante antecedência. O menu é inspirado nas brasseries francesas e oferece omeletes, ostras e pratos com frutos do mar. Ao lado do restaurante fica a padaria da mesma rede, com uma variedade de pães, doces e tarteletes de fruta.
 
Imagem
 
Este ano o frio demorou para ir embora.  Há muito tempo não se via uma primavera como esta: fria e chuvosa. Um banho de água fria, literalmente, para quem imaginou curtir Londres com roupas mais leves. Mudança de planos de ultima hora e  peças invernais, como botas e outerwear, na mala.

Imagem

Só assim para encarar uma Londres com tempo fresco e instável. Para o almoço no restaurante Balthazar, seguem algumas fotos do outfit que escolhi, feitas no restaurante e também na boulangerie Balthazar, que fica em anexo.
 
Nota do Todovinho: Obviamente que com o friozinho londrino e esses muitos locais especiais onde se refugiar para apreciar um belo prato de frutos do mar ou uma refeição quente revigorante ou variados pãezinhos especiais, nada melhor do que escolher um bom vinho. Com 60 pubs, só passa frio quem não tiver à sua frente uma taça de vinho. O resto são as conversas animadas em torno de qualquer tema! 

 

sexta-feira, 14 de junho de 2013

LUIZ ARGENTA - PROVAR PARA COMPROVAR A SOFISTICAÇÃO

O calendário de lançamentos na Luiz Argenta tem novidades e, agora, elas vêm com muito mais requinte na sua apresentação. Afinal, o prazer de abrir uma garrafa que com design arrojado e distintivo, se completa com a agradável sensação de estar prestes a degustar o vinho que é resultante da seleção dos melhores grãos de uma safra extraordinária.
 
Totalmente revisada, a linha chega com nova identidade visual, através de garrafas de desenho revolucionário, produtos da sofisticação italiana que abrigam um conteúdo de vinhos de alta qualidade, estruturados e evoluídos. É justamente por isso que a marca Luiz Argenta está conferida aos rótulos dos vinhos mais refinados da vinícola, e trata de homenagear o patriarca da família.

 
                  Garrafas estilizadas para o LA, par formado por Sauvignon Blanc e Gewürztraminer.
 
Focada no mercado de luxo, a Luiz Argenta Vinhos e Espumantes reserva, ainda para este ano, o lançamento de outros produtos na mesma linha, todos em lotes limitados que vão de 100 a 4 mil garrafas. Ainda está por vir um vinho elaborado pelo método dos amarones italianos, um espumante de 36 meses, um brandy e um passito.
 
A Luiz Argenta Vinhos e Espumantes divide sua produção em três linhas, cada uma com características únicas. A LA Jovem de vinhos mais descontraídos em garrafas que apresentam design arrojado com jovialidade e leveza; a LA que traz vinhos de aromas e sabores específicos e a Luiz Argenta que indica os vinhos mais sofisticados, elaborados a partir de safras excepcionais.
 

           Histórica edificação da Granja União, pioneira dos vinhos finos, restaurada pela Luiz Argenta.
 
Os vinhos e espumantes da Luiz Argenta podem ser encontrados na loja física da vinícola, na boutique virtual com entrega em casa, na boutique Luiz Argenta de Gramado ou nas principais lojas especializadas do país. O serviço Wine Delivery permite atender apreciadores da bebida de qualquer parte do país. Basta acessar www.boutiqueluizargenta.com.br e fazer o pedido.
 
A Vinícola Luiz Argenta ifaz parte do roteiro dos Altos Montes, em Flores da Cunha, um dos mais importantes roteiros enoturísticos do Brasil e que já ostenta o reconhecimento de uma Indicação Geográfica conferida pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). Nela se pode ver a integração do passado com o futuro da vitivinicultura brasileira:
 

                                                Ao fundo: moderníssima adega da vinícola Luiz Argenta.
 
LUIZ ARGENTA MERLOT - 2009
Vinhedos: Flores da Cunha – Serra Gaúcha - Região dos Altos Montes
Composição de Castas: 100% Merlot
Graduação Alcoolica: 13,5%
Maturação: 12 meses de barrica de carvalho francês
 
Elaboração
Este vinho foi elaborado com uma seleção especial de uvas da safra excepcional de 2009 - uvas com produção limitada de 1Kg por planta. Depois de colhidas, as uvas e bagas passaram por um processo de seleção, dando início à vinificação e permanecendo em maceração por aproximadamente 15 dias com temperatura controlada em 26ºC. Após a fermentação, o vinho foi maturado em barricas de carvalho francês por 12 meses, para depois ser submetido ao processo de engarrafamento. Sua maturação foi finalizada na cave da vinícola por mais um ano na garrafa com temperatura e umidade controladas.
 
LUIZ ARGENTA CABERNET SAUVIGNON -  2005
Vinhedos: Flores da Cunha – Serra Gaúcha - Região dos Altos Montes
Composição de Castas: 100% Cabernet Sauvignon
Graduação Alcoolica: 13,5%
Maturação: 12 meses de barrica de carvalho francês

Elaboração
Este vinho foi elaborado com uma seleção especial de uvas da safra excepcional de 2009 - uvas com produção limitada de 1 Kg por planta. Depois de colhidas, as uvas e bagas passaram por um processo de seleção dando início à vinificação. A maceração se estendeu por, aproximadamente, 15 dias com temperatura controlada em 26ºC. Fermentado, o vinho foi maturado em barricas de carvalho francês por 12 meses. Somente depois o vinho foi submetido ao processo de engarrafamento. Sua maturação foi finalizada na cave da vinícola durante 1 ano em garrafa com temperatura e umidade controladas.

quinta-feira, 13 de junho de 2013

PUGLIA BEST WINE CONSORTIUM ESTARÁ NA VINEXPO 2013

The firms belonging to the Consortium Puglia Best Wine will take part in the 17th biennial wine fair in Bordeaux: the most prestigious wine fair in the world that will be hosted at the Parc des Expositions from the 16th to the 20th of June. Highlights will include tastings of the "The great red wines of Salento," as well as an in-depth look at wine production in the only Italian region to make it into the “Wine Enthusiast’s” top ten destinations for wine lovers.
 
Consortium Puglia Best Wine will offer tastings of  "The great red wines of Salento, Negroamaro and Primitivo" at the Vinexpo wine fair in Bordeaux. The aim is to present the very best wines produced from Negroamaro and Primitivo to a select audience composed of accredited foreign and Italian journalists. A designated tasting point will be set up in the communal area of Consortium Puglia Best Wine. There will be a wine list from the firms exhibiting at the fair reserved for journalists and opinion leaders. On Tuesday, the 18th of June, from 12.30 to 14, at the Tasting Lab Hall2, selected labels will be included in the seminar "Negroamaro and Primitivo: late sun - kissed red wines", edited by British wine writer Stephen Brook and addressed to a selected audience of traders, buyers and journalists. 
 
"The quality wines of Salento particularly those of Primitivo and Negroamaro have gained international recognition – explains Luigi Rubino, President of the Association of Puglia Best Wine - these two varieties in particular have invested wisely in agriculture, in top of the range wine cellars and most importantly in communication. We are in Bordeaux to represent a line of production that has chosen to interpret a tradition, a region, and an identity. We are a close-knit team of seven firms, each with their own unique story, and yet united under the common goal of open mindedness and a readiness to engage in dialogue with markets and consumers. Our wines - concludes Luigi Rubino- are well balanced, encompassing both a typical Mediterranean flavor, but with an added infusion of fruit and freshness. These features allow us to tap into new markets in order to engage new consumers,  and share our wine expertise, culture and way of life.”  
 
The seven wine firms that will be participating at Vinexpo 2013: Agricole Vallone, Candido, Consorzio Produttori Vini di Manduria, Conti Zecca,  Cupertinum – Cantina Sociale Cooperativa di Copertino, Leone de Castris e Tenute Rubino.
 
Press Office - Puglia Best Wine
Gran Via -  Società & Comunicazione  srl
via G. Mazzini 21, 90139 Palermo

SICÍLIA INVADE A VINEXPO 2013 EM BORDEAUX


Sicily’s Institute of Wine and Olive Oil (IRVOS) is ready to face one of its biggest challenges to date: the 17th biannual Vinexpo wine fair in Bordeaux. The most influential and prestigious trade show in the world will open its doors to the international wine community on the 16th of June at the Parc des Expositions.
Palermo, June 10th, 2013 – Thirty of Sicily’s top firms will participate to Vinexpo in Bordeaux, the long-awaited biennial wine fair which runs from the 16th to the 20th of June inside Hall 1 (DE 198) of the exhibition building in the French city. Five days of meetings and business exchanges will provide Sicilian producers with a fantastic opportunity to create new contacts and further promote their brand. With more than 2,400 participants from 45 different countries having already confirmed their attendance and an expected turnout of 48,000 visitors, Vinexpo 2013 is the hottest event in the industry for those wanting to give new impetus to their business. The wine fair will certainly be an international affair with an expected 145 different nationalities crossing paths. Despite Europeans still being in the majority, many professionals from the United States, Canada and South America have already asked for entrance passes. Not forgetting that the number of visitors from Asia, particularly from South-East Asia, between 2009 and 2011, increased nearly fivefold.
"In Bordeaux you quite literally have the world at your fingertips - explains Giuseppe Torina, Head of the International Trade Fair IRVOS and curator of the entire Sicilian commission in France – Vinexpo provides a wealth of opportunity for businesses looking to expand, it is a growing reality and yet still very selective, both for exhibitors and traders, as well as journalists and opinion leaders. Over time, IRVOS has built up an important relationship with the organizers of the Fair, nurturing a climate of trust and cooperation for companies and producers alike. We will promote the very best Sicilian producers, placing strong emphasis on Brand Sicily and its DOC ".
IRVOS has put forward a list of the very best Sicilian wines, called “Born in Sicily”, to be judged at the Vinexpo, the same list used at the last Vinitaly. The wines selected are the most rappresentative of the 30 participating wineries, those that best encompass the philosophy, the richness and complexity of their region. Some of this brands held key roles in Sicily’s rich history: there are the wines of Etna and Pantelleria, an expression of the magnificent viticulture of the sea and the mountains; Nero d'Avola, Sicily’s global renaissance ambassador; Cerasuolo, the only DOCG in Sicily and Catarratto, a native variety that produces some on the most exquisite white wines in the world, whilst always remaining on trend with the tastes consumers around the world.
"Taking part in the Vinexpo in Bordeaux - says Lucio Monte, the new Director of IRVOS - is one of the most important stages in the process of the internationalization of Sicilian wine carried out by the Institute. This year we tirelessly invested all of our resources into promoting Born in Sicily around the world.  We are absolutely certain that in both the short and long term it was the best possible decision for the wine sector. While our work has enabled companies to go abroad by facilitating meetings and trade, the Sicilian producers have always shown manufacturing expertise, quality wine and entrepreneurial dynamism, which is absolutely fundamental in a competitive market. "
The Sicilian firms participating to Vinexpo 2013: Alessandro di Camporeale, Baglio dei Fenicotteri, Baglio del Cristo di Campobello, Baglio di Pianetto, Caruso&Minini, Cantine Settesoli, Casa di Grazia, Castellucci Miano, Cellaro, Ceuso, Corbera, Costantino, Cusumano, Donnafugata, Duca di Salaparuta, Feudi del Pisciotto, Firriato, La 3D - Destro Vini, Le Terre del Gattopardo, Limonio, Maurigi, Milazzo, Mimmo Paone, Nicosia, Planeta, Rallo, Santa Tresa, Tasca d’Almerita, Tenimenti Zabù, Terre di Giurfo.
 
Press Office  IRVOS
Gran Via -  Società & Comunicazione  srl
via G. Mazzini 21, 90139 Palermo
 

quarta-feira, 12 de junho de 2013

VITÓRIA EXPOVINHOS 2013 - A MAIOR DO ESPÍRITO SANTO


A Federação do Comércio do Estado do Espírito Santo (Fecomercio-ES)  está promovendo, hoje e amanhã, dias 12 e 13 de junho, no Itamaraty Hall, na capital capixaba, o Vitória Expovinhos 2013 – 5° Salão Internacional de Vinho de Vitória.

Os organizadores do evento contabilizam para essa edição um volume de mais de 1000 rótulos de 20 países, que serão apresentados pelos mais de 60 expositores presente à feira.

A programação, como nos anos anteriores, prevê, ainda, a realização de cursos e palestras para amantes e profissionais do vinho. Serão cinco palestras internacionais e duas nacionais.

O Vitória Expovinhos trouxe para os capixabas, em sua primeira edição, a feira no formato Wine Tasting, que até hoje ainda é exclusividade sua. Nesse modelo, o participante inscrito recebe uma taça de cristal na recepção e pode degustar todos os vinhos apresentados pelos expositores presentes na feira. Além da oportunidade única de ter à sua disposição centenas de rótulos para degustação, os visitantes podem conversar com enólogos, sommelieres e representantes, que apresentam cada vinho, as suas origens e os tipos de uva.  O conhecimento sobre vinhos se adquire na degustação durante a feira e, também, na programação de palestras com enólogos e profissionais ligados à enogastronomia de renome nacional e internacional e nos cursos dirigidos à qualificação de profissionais de restaurantes, hotéis e pousadas do estado.

Outro grande momento do evento é o Prêmio Top Five, que elege os cinco melhores vinhos degustados na Feira em seis categorias: Tinto e Branco Velho Mundo, Tinto e Branco Novo Mundo, Espumante e Sobremesa. O resultado será divulgado antes do evento e os visitantes poderão degustar os vinhos premiados durante a feira

A importadora paulista Vinos e Vinos, uma das principais do Brasil, está participando da feira e pode anunciar que no Top Five ganhou 3 prêmios pelos vinhos:

TOQUES E CLOCHERS ST. MARTIN 2011 – SIEUR D´ARQUES LIMOUX – FRANÇA – CHARDONNAY – (VINOS E VINOS)

PHILIPPONNAT ROYALE RESERVE ROSÉ 2006 – CHAMPAGNE PHILIPPONAT CHAMPAGNE – FRANÇA – 70% PINOT NOIR, 25% CHARDONNAY, 5% PINOT MEUNIER – (VINOS E VINOS)

MERRYVALE CABERNET SAUVIGNON – MARRYVALE CALIFORNIA – USA – 99% CABERNET SAUVIGNON, 1% CABERNET FRANC – (VINOS E VINOS)

undada em 16 de novembro de 2009, e que começou a operar efetivamente em Março de 2010, a trajetória dessa jovem importadora é acompanhada pela força e o objetivo de seu DNA: buscar e oferecer ao mercado brasileiro grandes vinhos, mesmo com produtos de pequenas quantidades produzidas.

Das várias regiões vinícolas do mundo escolhem-se produtores que não fazem vinhos, mas que criam produtos muito especiais, produzidos com muito cuidado desde o plantio até chegar à mesa do consumidor.

Em seu portfólio estão presentes cerca de 500 rótulos de vinhos exclusivos e a maioria franceses, mas a mportadora não deixa de prestigiar vinhos de outras nacionalidades como os chilenos, húngaros, californianos e italianos.

Produtores representados que merecem destaque são: Viña Peñalolen, Viña J Bouchon, Fattoria La Gerla, Elvio Cogno do Piemonte, Domaine Jean Chartron,  Tenuta Contarini, Moinét, Valbene e Le Casere.Os vinhos são selecionados com muito critério, principalmente os que possuem identidade e tradição, com pontuações de críticos conceituados como, Robert Parker, Wine Spectator, Guide Hachette, e Bettane & Desseauve.

Sitewww.vinosevinos.com.br

Loja - Rua Sergipe, 132, Higienópolis – São Paulo – SP.Telefone: (55 11) 3156-8455
Matriz - Rua Marquês de Itú, 837, Conj. 84, Higienópolis – São Paulo